Lá fora || Nomes e discos estrangeiros ao tempo do 'boom'
Ziggy Stardust

Um disco ao tempo do 'boom' de uma das referências de Variações. E mais quatro (com vídeos), dos anos 60 e 70:

The Beatles

Beatles
"Sgt. Peppers lonely hearts club band"
1967


David Bowie

David Bowie
"The rise and fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars"
1972


The Kinks

The Kinks
"Live'79"
1979


Lou Reed

Lou Reed
"Transformer"
1972

Beatles, David Bowie, Kinks e Lou Reed
OS DISCOS DE ANTÓNIO VARIAÇÕES

classificação: 5 estrelas

Audição: Vinil



Vinis na bagagem de Londres e Amesterdão
______

© António Luís Cardoso [11.Abril.2010]



O efémero emigrante que regressou a Lisboa, em 1976, e que, uns anos depois se celebraria como António Variações, trazia na bagagem parte do mundo de novidade que encontrou em Londres e Amesterdão: discos de David Bowie, Beatles, Kinks e Lou Reed. Essa é pelo menos a notícia que sabemos e, para quem começou, como eu, a comprar discos (já nos anos 80) sabe bem o peso da novidade, de um disco difícil de obter; é que, por esses tempos, não existia a tal aldeia global que nos permitia estar a um 'click' do conhecimento musical.

O disco de Bowie que aqui surge é editado quando Variações está no auge do seu sucesso, em 1983. Mas, sendo um álbum ao vivo, trata-se de um concerto no Hammersmith Odeon, Londres, em 3 de Julho de 1973. O último dessa digressão de Bowie e, também, o último em que veste a pele do seu personagem Ziggy Stardust.

Ziggy Stardust
A ideia de Bowie para o seu álbum de 1972 ("The rise and fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars") reflecte uma preocupação comum à época: o declínio da Terra, pelo Homem, e a hipótese da sua destruição. Ziggy Stardust é um extraterrestre que chega ao nosso planeta para o salvar mas cede à tentação do rock. Torna-se, assim, uma estrela juntamente com os "Spiders from Mars" e, à boa maneira do showbizz do rock'n'roll, suicida-se no último tema do disco.

O disco
O álbum editado em 1983 é banda sonora do documentário do concerto (da autoria de Donn Alan Pennebaker) e uma demonstração da força do espectáculo que, uma década antes, apresentava Ziggy ao mundo. Sendo duplo, amplia o LP e acrescenta-lhe mais músicas de Bowie. Uma delas, "Space oddity", é um dos cartões de visita do cantor e enquadra-se bem no universo de ficção científica trazido pelo personagem alienígena do músico.

A capa
A capa vive da imagem de Ziggy (Bowie) fumando um cigarro, qual rock star, sobre um fundo negro. A tipografia, simples e similar à de uma máquina de escrever (o tipo "Courier") surge discreta no topo, com títulos de artista e álbum.

E ainda...

Aproveita-se também para referenciar três discos: o citado LP de Bowie que dá origem ao concerto (1972), um de Lou Reed (1972) e outro dos Beatles (1967) que podiam perfeitamente estar nas malas de Variações; e um quarto, dos Kinks que, sendo de 1979, não vinha na bagagem, mas representa ao vivo toda a pujança dos criadores de "You really got me". Todos eles com nota máxima, como merecem.









museudobooom@gmail.com