Bibliografia
Um terreno árido de prosa
"A arte de ser eléctrico" de António Duarte

"Memórias do rock português" de Aristides Duarte
Enumerar livros especializados sobre a música moderna portuguesa é quase tão fácil como contar dedos de uma mão.
Houve diversas e diferentes publicações periódicas que foram abordando o tema ("Rock em Portugal", "Música & Som", "Sete", "Êxito", "Blitz", etc.), mas não se pode dizer o mesmo de trabalhos especializados.
Ainda assim, há dois livros a ter em conta: "A Arte Eléctrica de Ser Português- 25 Anos de Rock'n'Portugal" de António Duarte e "Memórias do rock português" (já com 3 edições, sempre revistas e aumentadas), de Aristides Duarte. Estão separados no tempo um pouco mais de duas décadas, mas é fundamental a sua leitura, para uma melhor apreciação do fenómeno. O livro de António Duarte, datado de 1983, abarca a quente o fenómeno do "boom"; e esteve para não o fazer, uma vez que o trabalho era para ter sido editado antes, apenas com a história da música moderna portuguesa até ao fim da década de 70. Por um percalço de edição, tal não aconteceu e, dando-se a histeria pós "Chico Fininho", o autor, jornalista do jornal "O Sete", dedicou-se a estudar e introduzir mais matéria no seu livro.
Já quanto ao livro de Aristides, cuja 3ª edição é de 2008, as alusões ao "boom" têm a vantagem de uma análise mais espaçada temporalmente do fenómeno. Mas estes artigos compilados em livro de edição de autor, prefaciado por António Manuel Ribeiro (UHF), vão mais longe do que o início dos anos 80. E também mais perto. Esta edição já tem incluída, por exemplo, a banda portuense Clã. Pena é que Aristides não tenha tempo, face à sua vida profissional, de produzir um 2º volume.

A estes dois livros, também com mais tempo, espero voltar a referir-me.

Nota: o livro de António Duarte está esgotadíssimo, mas o de Aristides Duarte pode ser encomendado através do seublog.
museudobooom@gmail.com